CONTA DE LUZ: MINISTÉRIO PÚBLICO DEFENDE ANULAÇÃO DA AUDIÊNCIA QUE DEBATEU AUMENTO DA TARIFA

Em Nota Técnica foram apontados vícios formais e de mérito no processo

O Ministério Público do Maranhão, por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Consumidor (Caop Consumidor), emitiu Nota Técnica em que defende a nulidade da audiência pública realizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no último dia 6, para debater o aumento da conta de luz.

Os índices do aumento variam de 18,81% a 19,05%, para o grupo B (consumidores residenciais), e de 17,28% a 22,58%, para os usuários do grupo A (indústrias).

Assinada pelo coordenador do Caop Consumidor, promotor de justiça Nacor Paulo Pereira dos Santos, a nota aponta vícios formais e de mérito para que seja anulada a audiência, com o consequente adiamento da aplicação do reajuste decorrente da 4ª revisão tarifária periódica da Companhia Energética do Maranhão (Cemar).

No que se refere aos problemas formais, o Ministério Público aponta a falta de representatividade da audiência, que contou com uma pequena quantidade de presentes. No mérito, foi apontada a ausência de idoneidade dos índices propostos devido à falta de conclusão das análises e auditorias dos ativos da Cemar e, ainda, por não terem sido concluídos os percentuais consolidados dos custos que irão balizar a revisão tarifária.

A Nota Técnica propõe também que sejam realizadas audiências públicas regionalizadas, contemplando as maiores cidades do interior do Maranhão, bem como concluídas as análises necessárias para a definição de tarifas mais justas. “Deve-se levar em consideração a situação econômica e social da população maranhense, com a futura e almejada definição de preço tarifário justo”.

O documento indica a possibilidade de que os órgãos de defesa do consumidor e os próprios cidadãos ingressem na justiça, caso não sejam sanados os vícios formais e de mérito apontados no processo.

Leia aqui a Nota Técnica.

Redação: CCOM-MPMA

PREFEITO RESSURGE

O prefeito de São Luis, Edivaldo Holanda Junior (PDT), finalmente reapareceu em público depois da eleição de 2016.

Com aquele sorriso bonito, ele distribuiu tapinhas nas costas no velho estilo do político tradicional.

Holanda Junior marcou presença no passeio histórico da praça Benedito Leite e foi entrevistado pela TV Mirante.

A aparição do prefeito ocorreu depois de quase um ano após a sua reeleição.

Enquanto isso, a cidade segue abandonada.

PAZ DE OGUM NA CÂMARA MUNICIPAL

Beto Castro não poupou críticas a Honorao

O presidente da Câmara dos Vereadores de São Luís, Astro de Ogum, celebrou a paz entre os edis Honorato Fernandes (PT) e Beto Castro.

A calmaria reinou após uma troca de acusações, no plenário, entre os dois parlamentares.

Beto Castro, inconformado com a distribuição de emendas parlamentares, acusou o colega Honorato Fernandes de praticar lavagem de dinheiro.

A discussão foi de baixo nível. Sem meias palavras, Beto Castro chamou Honorato Fernandes de “bandido”.

Na semana seguinte à discussão ríspida, Astro de Ogum obrigou os vereadores a pedir desculpas públicas. Antes, chamou os dois para uma conversa reservada, quando tudo se acerta.

No fundo, a discussão envolvia o primeiro-ministro da Prefeitura de São Luís, Lula Filho, que vem sendo vítima de acusações de corrupção na Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz).

Lula Filho apadrinha uns vereadores e despreza outros, no grande esquema do jogo de poder e da distribuição de dinheiro que atravessa a Câmara e o Palácio La Ravardière.

O trabalho dos vereadores, que deveria ser a fiscalização da gestão municipal, acaba se transformando em briga de foice por emendas. Nada mais.

Salvam-se poucos. De novidade na Câmara, bom resultado vem tendo o radialista Marcial Lima. É uma exceção.

CIDADANIA DIGITAL: PRAÇA DEODORO GANHA CONEXÃO À INTERNET

Os maranhenses que diariamente passam pela Praça Deodoro, em São Luís, estarão muito mais conectados à rede mundial de computadores com a inauguração da Rede de Internet Gratuita do Maranhão (Maranet), realizada na tarde de quarta-feira (12), pelo Governo do Maranhão, via Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).

Com isso, a população passa a contar, a partir de agora, com Wi-Fi grátis implantado pelo Governo do Maranhão. São 100 megas de internet, via fibra ótica, de alta velocidade, que possibilita a conexão de 1.200 usuários simultâneos. 

A iniciativa é uma ação do programa Cidadania Digital, que faz parte do plano de metas do governo Flávio Dino, e visa democratizar o acesso à internet em todo o estado. De acordo com o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, a iniciativa vai beneficiar a população de São Luís, principalmente a que transita pelo Centro da capital.

“A Maranet é a primeira rede de internet gratuita do Governo do Maranhão. Brevemente, vamos inaugurar mais nove pontos em São Luís e devemos também chegar a outros municípios da Região Metropolitana. Os municípios de Pinheiro, Pindaré-Mirim, Arari e Vitória do Mearim contam com a internet”, disse o secretário, reiterando que as inaugurações seguem. “Os próximos pontos serão em Codó, Caxias, Coroatá e Timon, e, assim, devemos fechar esse primeiro ciclo até o mês de agosto. Entre setembro e dezembro queremos chegar a mais 30 municípios do estado levando inclusão digital para todos”, acrescentou.

Segundo o deputado estadual Bira do Pindaré, entregar à população um equipamento público como a Maranet é de grande relevância. “É um passo importante para consolidar aquilo que conceituamos como cidadania digital, a democratização do acesso à internet propicia um desenvolvimento social mais amplo, pois hoje a internet se transformou em um insumo importante para o desenvolvimento social, pois quase todos os serviços dependem da internet. Ter mecanismos de acessos gratuitos é fundamental, e o Governo do Estado por meio da Secti está no caminho certo. A Maranet se consolida e é uma iniciativa que demonstra força e vitalidade de um governo que tem um compromisso com a população maranhense”, destacou. 

VEJA AS SINOPSES DOS FILMES DA MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA

 

Evento acontece no Cine Praia Grande, localizado no Centro de Criatividade Odylo Costa, Filho (Centro Histórico) até dia 18 de julho. Sessões às 13h30, 16h, 19h e 21h30. Filme de encerramento aborda a vida e a obra do poeta maranhense Ferreira Gullar

AS CORES DE AFFONSO BEATO, Brasil, 50 min, Livre, Documentário. De Betse de Paula e Jacques Cheuiche. Fotógrafo brasileiro radicado nos Estados Unidos, fundador da ABC conta como começou sua carreira como assistente de câmera de Ricardo Aronovich em Os fuzis de Ruy Guerra(1964). A virada que foi o trabalho com Glauber Rocha em O Dragão da Maldade contra o santo Guerreiro, (1969) Julio Bressane em Cara a cara (1967). A ida para os Estados Unidos onde faz parceria de 9 filmes com Jim McBride, entre eles: Acerto de Contas (1986) e A Fera do Rock (1989). Trabalhou com Carlos Diegues em Orfeu (1999) e Deus é brasileiro (2003), com Walter Salles em Àgua Negra (2005), Pedro Almodóvar em A Flor do Meu Segredo (1995) e Tudo Sobre Minha Mãe (1999). Afonso fala ainda do trabalho com a TV Globo e com Jayme Monjardim em o Tempo e o Vento (2012) e Maysa: Quando fala o coração (2009).

O PROJECIONISTA, Brasil, 16 min, 16 anos, Drama. De Marcos Ponts. Elenco: Mario Baldez, Raffaele Petrini.

Mostra Competitiva Longas

BARONESA, Brasil, 73 min, 16 anos, Documentário. De Juliana Antunes. Elenco: Andreia Pereira de Sousa, Leidiane Ferreira, Gabriela Souza. Andreia quer se mudar. Leid espera pelo marido preso. Vizinhas em um bairro na periferia de Belo Horizonte, elas tentam se desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e evitar as tragédias trazidas junto com a chuva.

HISTÓRIAS QUE NOSSO CINEMA (NÃO) CONTAVA, Brasil, 79 min, 16 anos, Documentário. De Fernanda Pessoa. O documentário realiza uma releitura dos anos 1970 no Brasil através apenas de imagens e sons de filmes populares da época, muitos considerados “pornochanchadas”, o gênero mais visto e produzido no período.

NOCTURAMA, Alemanha – Bélgica – França, 130 min, 16 anos, Drama – Suspense. De Bertrand Bonello. Elenco: Adèle Haenel, Vincent Rottierz. Durante um dia em Paris, jovens de diversas tribos e etnias parecem realizar os mesmos movimentos nas ruas da capital e nas estações de metrô. Parecendo seguir um plano único, ainda que independentes uns dos outros, eles se encontram em uma loja de departamento – que está fechando suas portas após o dia. E então começa a noite.

A LEI DA SELVA, França, 100 min, 14 anos, Comédia. De Antonin Peretjatko. Elenco: Vimala Pons, Pascal Légitimus, Vincent Macaigne. Marc Châtaigne é um estagiário do Ministério da Norma, enviado a Guiana para o lançamento da primeira estação de esqui da Amazônia. Durante sua estadia no local, Marc fica perdido na selva com Tarzan, aprendiz no Instituto Nacional de Florestas.

PERICLE IL NERO, Itália, 100 min, 18 anos, Drama. De Stefano Mordini. Elenco: Riccardo Scamarcio, Anais Fois. Péricles (Riccardo Scamarcio) é um violento soldado contratado para fazer o trabalho sujo, um trabalho que se resume a “obedecer” e “intimidar”. No entanto, toda sua vida muda quando, no meio da realização de uma missão, conhece Missy, filha de outro poderoso chefe criminoso local.

Ciclo “Affonso Beato: A Fotografia no Cinema”

Todas as sessões serão seguidas por debate com o próprio Affonso Beato.

O DRAGÃO DA MALDADE CONTRA O SANTO GUERREIRO, Brasil – França – Alemanha Ocidental, 95 min, 16 anos, Faroeste. De Glauber Rocha. Elenco: Mauricio do Valle, Odete Lara, Othon Bastos, Hugo Carvana. Misturando cordel e ópera, esta aventura apresenta o personagem Antônio das Mortes, que recebe a tarefa de eliminar um novo cangaceiro da região. No caminho, ele encontra diversos jagunços e coroneis e se vê cara a cara com o povo do sertão e com as dificuldades enfrentadas pelos sertanejos, eventos que farão Antonio adquirir uma nova perspectiva de vida.

TUDO SOBRE MINHA MÃE, Espanha, 100 min, 12 anos, Drama. De Pedro Almodóvar. Elenco: Cecilia Roth, Marisa Paredes, Penélope Cruz, Candela Peña. No dia de seu aniversário, Esteban (Eloy Azorín) ganha de presente da mãe, Manuela (Cecilia Roth), um ingresso para a nova montagem da peça “Um bonde chamado desejo”, estrelada por Huma Rojo (Marisa Paredes). Após o espetáculo, ao tentar pegar um autógrafo de Huma, Esteban é atropelado e morre. Manuela resolve então ir até o pai do menino, que vive em Barcelona, para dar a notícia. No caminho, ela encontra o travesti Agrado (Antonia San Juan), a freira Rosa (Penélope Cruz) e a própria Huma Rojo.

GHOST WORLD: APRENDENDO A VIVER, Eua, 115 min, 16 anos, Comédia. De Terry Zwigoff. Elenco: Scarlett Johansson, Thora Birch, Steve Buscemi, Brad Renfo.  Enid (Thora Birch) e Rebecca (Scarlett Johansson) são duas adolescentes recém-saídas do segundo grau que começam a enfrentar as incertezas da existência. Planejam um futuro, cheio de possibilidades, em que serão sempre amigas, mas logo percebem que a realidade da vida adulta é bem diferente do que imaginavam. Rebecca trabalha em um café, recebendo um salário baixo que ela espera que um dia vá ajudá-la a pagar o aluguel de um sonhado apartamento. Enid por sua vez frustra-se em seu curso de artes, no qual é esnobada por uma professora arrogante e por colegas pretensiosos. Mas é nesse ambiente que conhece Josh (Brad Renfro), um rapaz diferente que ela considera “a única pessoa decente no mundo”.

GREAT BALLS OF FIRE – A FERA DO ROCK, Eua, 115 min, 12 anos, Biografia – Musical – Comédia. De Jim McBride. Elenco: Dennis Quaid, Winona Ryder, Alec Baldwin.  A história do cantor, compositor e pianista, Jerry Lee Lewis, um dos músicos pioneiros do rock and roll na década de 50. Ele enfrentou diversos conflitos por conta de sua arrogância, seu incrível talento e seu estilo de vida inconvencional. Um homem polêmico que enfrentou diversos problemas com a indústria musical e foi, muitas vezes, condenado pelo público.

A FLOR DO MEU SEGREDO, Espanha, 105 min, 12 anos, Comédia Dramática. De Pedro Almodóvar. Elenco: Marisa Paredes, Imarol Dias, Rossy de Palma.  Leo Macias (Marisa Paredes) é uma romancista que escreve histórias de 2ª categoria e consegue certo sucesso, mas se esconde sobre o pseudônimo de Amanda Gris. Paralelamente ela se sente infeliz, pois Paco (Imanol Arias), seu marido, é um militar que está sempre no exterior. Quando seu casamento começa a entrar em crise, Leo se vê entrando em desespero, o que a leva para a bebida e a parar de escrever seus contos. Porém, algumas surpresas estão reservadas para ela.

RESISTINDO ÀS TENTAÇÕES, Eua, 120 min, Livre, Comédia Musical. De Jonathan Lynn. Elenco: Cuba Gooding Jr., Beyoncé Knowles.  Darren Hill (Cuba Gooding Jr.) é um produtor de hip hop que acaba de perder o emprego. Cheio de dívidas a pagar, sua salvação surge quando descobre que sua tia Sally (Ann Nesby) faleceu e lhe deixou uma herança milionária. Porém, para receber o dinheiro, há uma condição: Darren precisa se tornar o líder do coro da igreja e concorrer ao Prêmio Gospel.

Sessão Clássicos

O QUINTO ELEMENTO, França, 126 min, 12 anos, Ficção Científica – Ação. De Luc Besson. Elenco: Bruce Willis, Milla Jovovich, Gary Oldman, Ian Holm, Chris Tucker. No século XXIII, um motorista de taxi (Bruce Willis) de Nova York se envolve em uma aventura na qual tem de deter um ser demoníaco que percorre a galáxia a cada 5000 anos. Se nada for feito a Terra será destruída, mas para isto ele precisa encontrar 4 pedras antigas, que representam os elementos, e colocá-las em volta de uma bela mulher (Milla Jovovich), que é o quinto elemento.

THE ROCKY HORROR PICTURE SHOW, Eua, 100 min, 18 anos, Comédia Musical. De Jim Sharman. Elenco: Tim Curry, Susan Sarandon, Barry Bostwick. Influenciado pelo matrimônio de um grande amigo, Brad Majors (Barry Bostwick) decide pedir sua noiva, Janet Weiss (Susan Sarandon), em casamento. Antes da cerimônia eles partem em uma viagem de carro, mas acabam se perdendo. Para piorar a situação, o carro quebra e está chovendo bastante. Eles vão até um castelo próximo em busca de ajuda e são recepcionados por Riff Raff (Richard O’Brien), o criado do dr. Frank N Furter (Tim Curry), dono do local. Brad e Janet estranham o visual e o comportamento de todos, sem imaginar que Frank N Furter dedica a vida à libido e o prazer. Seu novo plano é criar um homem musculoso, Rocky (Peter Hinwood), que possa atender aos seus anseios sexuais.

BLADE RUNNER: THE FINAL CUT, Eua, 120 min, 14 anos, Ficção Científica. De Ridley Scott. Elenco: Harrison Ford, Sean Young, Rutger Hauer, Daryl Hannah. No início do século XXI, uma grande corporação desenvolve um robô que é mais forte e ágil que o ser humano e se equiparando em inteligência. São conhecidos como replicantes e utilizados como escravos na colonização e exploração de outros planetas. Mas, quando um grupo dos robôs mais evoluídos provoca um motim, em uma colônia fora da Terra, este incidente faz os replicantes serem considerados ilegais na Terra, sob pena de morte. A partir de então, policiais de um esquadrão de elite, conhecidos como Blade Runner, têm ordem de atirar para matar em replicantes encontrados na Terra, mas tal ato não é chamado de execução e sim de remoção. Até que, em novembro de 2019, em Los Angeles, quando cinco replicantes chegam à Terra, um ex-Blade Runner (Harrison Ford) é encarregado de caçá-los. Exibido na versão “Final Cut”, finalizada em 2007 pelo próprio Ridley Scott, reconheçendo-o como o corte definitivo do filme.

PERFECT BLUE, Japão, 85 min, 18 anos, Animação – Suspense – Terror. De Satoshi Kon. Elenco: Junko Iwao, Rica Matsumoto, Shinpachi Tsuji. Mima Kirigoe é uma cantora pop de uma banda CHAM!, mas decide se tornar uma atriz, tendo como primeiro projeto uma série de crime dramática. Muitos de seus fãs ficam chateados com sua decisão e uns deles, obcecado por Mima, começa a perseguí-la e a enviar mensagens a chamando de traidora. Decidida a ignorar tais fatos, ela se preocupa com sua personagem na série que sofrerá um sequestro em um dos episódios. Sem ter noção da possibilidade de ser afetada pela cena, Mima fica traumatizada e começa a não saber distinguir a realidade da ficção. Seu problema maior começa quando seus colegas de trabalho são assassinados e as provas apontam para ela mesma.

EU TE AMO, Brasil, 85 min, 18 anos, Drama. De Arnaldo Jabor. Elenco: Sonia Braga, Paulo César Pereio, Vera Fischer, Regina Casé, Tarcisio Meira. Industrial falido no milagre dos anos 70 conhece uma mulher e a convida para sua casa. Os dois iniciam um romance desesperador, ao mesmo tempo em que tem um medo brutal deste relacionamento, tentam livrar a si próprios da solidão.

Filme de Encerramento

UM MARANHENSE CHAMADO JOSÉ RIBAMAR – A ARTE EXISTE PORQUE A VIDA NÃO BASTA, Brasil, 60 min, 10 anos, Documentário. De Zelito Viana e Gabriela Gastal. Elenco: Marco Nanini, Paulinho da Viola, Adriana Calcanhotto. O documentário dos cineastas Zelito Viana e Gabriela Gastal é um grande tributo à contribuição de Ferreira Gullar ao mundo das artes. Textos célebres do escritor são dramatizados por Marco Nanini, em interpretações intensas e solitárias de alguns de seus versos mais conhecidos. Na voz do ator é possível conhecer um pouco da personalidade do homenageado, saber dos problemas enfrentados nos tempos de ditadura militar, os dramas da sua vida e seus questionamentos políticos e sociais. Seus poemas ainda ganham versões musicadas no violão de Paulinho da Viola e nas vozes de Adriana Calcanhotto e Laila Garin. O roteiro de Nelson Motta traz verdadeiras pérolas registradas em entrevistas com o protagonista desta película. Ferreira Gullar explica a relação com suas obras, a descoberta do apreço pela poesia e o início da vida no Maranhão sem fugir de polêmicas, marca tradicional de sua trajetória.

Foto: Ferreira Gullar / reprodução

CONDENAÇÃO DE LULA É “MAIS UM CAPÍTULO DA FARSA GOLPISTA”, DIZ PT EM NOTA OFICIAL

Documento oficial do partido sustenta que vai manter a defesa intransigente de Lula porque acredita na sua absoluta inocência. Veja abaixo o texto integral:

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva representa um ataque à democracia e à Constituição Federal. Embora seja uma decisão de primeira instância, trata-se de medida equivocada, arbitrária e absolutamente ilegal, conduzida por um juiz parcial, que presta contas aos meios de comunicação e àqueles que não aceitam a trajetória de sucesso de Lula na presidência.

A sentença está baseada exclusivamente em delações premiadas negociadas ao longo de meses com criminosos confessos, e simplesmente validam as convicções contidas na acusação de procuradores do Ministério Público Federal, sem que houvesse a apresentação de provas que justifiquem a condenação nos termos expressos pelas leis brasileiras.

Lula não está acima da lei, tampouco abaixo dela. O que ocorre é um processo de perseguição que se constitui em uma aberração constitucional; um caso típico de lawfare, em que se utilizam recursos jurídicos indevidos como fim de perseguição política. Em seu caso, busca-se imputar-lhe crimes com base em teorias respaldadas apenas pela palavra de condenados, incapazes de comprovar suas afirmações por meio de documentos ou de transferências bancárias.

A condenação de Lula é mais um capítulo da farsa capitaneada pelo consórcio golpista que assumiu o País para suprimir direitos sociais e trabalhistas, ampliar o tempo para as pessoas se aposentarem, cortar gastos essenciais em Saúde e Educação e, principalmente, vender empresas estatais importantes como a Petrobras, a Infraero, a Caixa Econômica e o Banco do Brasil.

Curiosamente, a sentença saiu um dia depois da votação de medidas que retiraram direitos dos trabalhadores, e agora serão esquecidas.

O PT vai manter sua defesa intransigente a Lula, por acreditar em sua absoluta inocência. Lula é uma liderança reconhecida no mundo pelos avanços promovidos à frente da Presidência. Hoje, mais do que nunca, nos solidarizamos com Lula, e com seus filhos e netos. Além disso, reforçamos nosso pesar pela morte de sua mulher Marisa Letícia Lula da Silva. Sabemos que haverá Justiça nas outras instâncias do julgamento e que toda a verdade virá à tona. A história será a principal testemunha de sua absolvição e de sua grandeza.

Viva Lula!

Partido dos Trabalhadores

TODO O PRAZER

Eloy Melonio
Poeta, escritor, professor de Inglês

Responda rápido: o que lhe dá mais prazer na vida?

Pensou direitinho? OK. Mas não quero a sua resposta agora. Guarde-a bem guardada. Antes quero que me acompanhe nesta louca e saborosa incursão pelas águas turbulentas do prazer.

Se fizesse a mesma pergunta a um ator ou poeta, talvez pudesse até antecipar suas respostas. Mesmo assim, não dá pra confiar muito, porque nessas águas, como diz a música de Paulinho da Viola, “não sou eu quem me navega / quem me navega é o mar”.

Minha resposta tem várias possibilidades. Duas delas são “leitura” e “escrita”. Ainda bem que elas são afinadas uma com a outra. Quanto à leitura, se o que leio não me agrada, não continuo. Seja livro, poema, ou mesmo uma bula de remédio. Na escrita, se há algum problema, eu me resolvo com o texto. E a gente geralmente se entende.

Citei as duas porque recentemente vivi uma experiência inusitada. E elas estão no meio dessa confusão. Depois de ver o anúncio de um livro, desejei-o tanto quanto um cão diante de um osso suculento. Não teve jeito: comprei o livro pela Internet. Em seguida, vi-me igual a uma criança na noite do Natal. A expectativa quanto ao conteúdo do livro era de assombrar. E aí fiquei contando os dias para tê-lo em minhas mãos.

Avisei a empregada, pedi ao vigia da rua que ficasse atento ao carro do correio ou outro entregador, e até autorizei-o a receber o livro. Quando chegava em casa, ia direto ver se havia alguma coisa sobre a mesa da copa. Nada! A ansiedade aumentou quando, passada a data da entrega, os dias ficaram mais lentos e mais preguiçosos.

Dois dias depois, a campainha toca às 13h50. Só podia ser o livro! Corri ao portão para ver quem era. Um homem numa moto. Meu pensamento gritou: Putis!* Não é o livro! Mas quando o vi pegando o pequeno pacote de papel pardo da Saraiva, suspirei aliviado. E na pressa de pegar o meu sonho de consumo, minha assinatura no documento de entrega saiu toda torta.

Tanta excitação me fez pensar na questão do prazer. Que sensação é essa que nos faz suar, tremer as pernas?! Que turbilhão é esse que nos acorda de madrugada para escrever um poema?!

O livro parecia encomendado para compor esta crônica. Logo na segunda capa, o autor, frade dominicano e conceituado homem de letras, me dizia: “Escrevo para ser feliz. Bartheanamente, para ter prazer”.

Senti-me confortado. Tinha um parceiro com quem compartilhar um prazer arrebatador. E Frei Betto (OFÍCIO DE ESCREVER, Ed. ANFITE ATRO) continua seu discurso: “nada me dá mais prazer na vida do que escrever”. E vai mais além: “Um verdadeiro escritor jamais será feliz fora desse ofício”.

Os publicitários conhecem bem essa história. Sabem o que significa “prazer”, e o que ele provoca em nosso inconsciente. Esses criativos despertam prazeres que às vezes não conhecíamos ou de que nem desconfiávamos que dormiam em nosso coração. O prazer nos faz buscar a satisfação. E aí queremos comprar, viajar, beber, comer…

Os prazeres da vida são insondáveis. Cada um de nós tem os seus “queridinhos”. Se forem saudáveis, atendem a uma inclinação vital e nos proveem com alegria, contentamento, deleite. Sensações que estão relacionadas à satisfação de um desejo, vontade ou necessidade.

É fato que existem prazeres esquisitos. Mas esses a gente deixa pra lá! Eu gosto do Carnaval, e adoro o São João, mas uma pessoa no Facebook desabafou: “esqueci de dizer: odeio Carnaval e São João”. O jeito então é recorrer a Jane Austen para entender essa confusão: “Metade do mundo não consegue compreender os prazeres na outra metade”.

A atriz Claudia Gimenez, que já passou por difíceis condições de saúde, não reluta em dizer: “Tem uma coisa que quero mais que todas as outras: quero viver”. Pra mim, esse é maior de todos os prazeres. Mas tem muita gente por aí querendo chegar à Ilha do Prazer apenas nas asas da poesia, da música, da dança, das baladas, do sexo…

O poeta maranhense Ruy Robson vale-se do poema para revelar um ardente prazer: “Escrevo por necessidade/ pela vontade de ser feliz (…)/ Escrevo para não sofrer/ Escrevo para não matar/ Escrevo para não morrer”.

Sou da mesma inclinação do frade e do poeta. É que para nós, escritores, “ler e escrever” são verbos gêmeos na sintaxe do prazer. Podem até se separar em algum momento, mas juntos são mais significativos, mais coerentes, mais indispensáveis.

Não queria sua resposta à pergunta inicial. Mas se você incluir “leitura” e/ou “escrita” entre seus prazeres mais quentes, pode falar agora. Terei todo o prazer em ouvi-lo.

____

*putis forma abreviada da expressão popular “puta merda!”, que indica indignação, espanto ou mesmo uma situação inesperada (definição que enviei ao Dicionário inFormal, e que aguarda aprovação)

DIRETORA DO HOSPITAL REGIONAL DE ITAPECURU REBATE CRÍTICAS E AGRESSÕES DE VIÚVAS DA OLIGARQUIA

Desde que assumiu a Diretoria Administrativa do Hospital Regional Adélia Matos Fonseca, em Itapecuru-Mirim, a gestora Larissa Araujo Martins vem sendo alvo de perseguição por parte dos adeptos da oligarquia que tratavam a Saúde como apadrinhamento político, clientelismo e patrimonialismo.

Para se defender das agressões verbais, injúrias e calúnias contra sua família, e na condição de gestora pública, Larissa Martins divulgou uma carta esclarecendo os fatos.

Veja abaixo, na íntegra:

Em janeiro de 2015 junto com o Dr. Raimundo Fonseca (Diretor Geral) assumi o cargo de Diretora Administrativa do Hospital Regional Adélia Matos Fonseca na cidade de Itapecuru, desde que assumi o cargo entendo que ele é comissionado, portanto de livre nomeação e exoneração pelo governo.

Assumimos com o compromisso de ajudar a fazer uma administração proposta pelo novo modelo de governo:

“… uma mudança para uma Era de Direitos, de igualdade perante as leis, que devem valer para todos, tanto naquilo que asseguram quanto no que exigem”.

“… Uma era em que o acesso aos serviços públicos essenciais seja progressivamente universalizado e não um privilégio de poucos. Uma era de direitos, em substituição à era de favores e de uso da máquina pública como instrumento de cooptação…”;

Um Maranhão de Todos Nós

E, desde então tenho sido alvo de calúnias, falácias e injúrias de pessoas levianas e inescrupulosas e/ou desafetos políticos que devem estar acostumados às práticas coronelistas e jogos patrimonialistas de governos anteriores que privilegiavam poucos em detrimento dos muitos João e Maria deste Maranhão.

O que muitos não sabem é que falta de estrutura física, sucateamento de frota e equipamentos, foram herdadas de gestões anteriores acostumadas ao uso indevido do dinheiro público, inclusive com direito a inclusão do nome do hospital em escândalos como o da aquisição de vinhos caros na Expande Store com cheque do hospital (vide operação Sermão aos Peixes). Encontramos um hospital sucateado, sem protocolos hospitalares com poucos privilegiados na folha de pagamento, quadro de funcionários com evidente nepotismo e funcionários fantasmas e um baixo faturamento hospitalar.

E então, orientados pela equipe de governo da SES e posteriormente pela EMSERH, começamos uma gestão séria alinhada à nova diretriz de governo, uma gestão de resgate de protocolos hospitalares, do faturamento, equiparação de salários para podermos ampliar e melhorar os serviços de saúde de forma que esta transformasse em uma saúde não de prédios, mas de acolhimento e humanização.

Os acontecimentos em relação à saúde do Maranhão e em evidência do Hospital Regional Adélia Matos Fonseca não foram ocasionados por mim, estamos sendo vítimas do descaso deixado no Maranhão por uma oligarquia, que governava discriminadamente, com favoritismos e sem responsabilidade com a coisa pública, o que nos tem impedido de trilhar mais rapidamente os caminhos do êxito.

Sou sim esposa do candidato Rogério Baiano, e mãe de dois filhos. Mas, ao contrário do que alguns poucos ineptos proclamam por ai, não mando no meu marido e nem determino o que ele deve ou não fazer. O que temos é uma relação de amor, amizade e companheirismo como um casal. Desta forma, nunca disse a ele que devia ou não deveria ser candidato e entrar e/ou sair da vida política. Esta foi uma escolha dele a qual respeitei apesar de não concordar.

Sou itapecuruense, aqui nasci, cresci e vivo, sou filha de família humilde e trabalhadora, meu pai e minha mãe são funcionários públicos aposentados, sempre me ensinaram agir com responsabilidade e compromisso com as pessoas e coisas públicas, sempre tive valores morais e éticos, assim tenho criado os meus filhos, e foi dessa forma com orientação familiar que conquistei minha carreira de administradora e pedagoga. Tenho vinte anos de experiência profissional, pago meus impostos e cumpro com minhas obrigações sendo elas pessoais e/ou profissionais, e não vou permitir que caluniem a mim e minha família  por questões políticas.

Estamos do lado do governador Flávio Dino? Sim, desde sempre estivemos porque acreditávamos e acreditamos que ele seria, e está sendo a melhor opção para o Maranhão. Estes ataques que venho sofrendo são por decidir estar do lado de quem realmente está para melhorar a vida dos maranhenses?

Fica claro na veiculação de tais calúnias e injúrias o teor político e a forma como tudo têm sido tramado, para atingir aliados e o governo do estado, pois os mesmos antes faziam referência à corrida das eleições municipais e agora se referem às eleições estaduais fazendo alusão à volta da ex-governadora ao Palácio dos Leões.

Senhor Josivaldo Veras, sei perfeitamente onde começam e onde terminam os meus direitos e, em hipótese alguma agredi ninguém nem com palavras nem fisicamente, o senhor é consciente disto.

Senhor Josivaldo Veras, passamos da era de coronelismo, dos favoritismos, dos abusos de poder, das desigualdades econômicas e sociais e, desde 01 de janeiro de 2015 iniciamos uma era “despidos dos brasões da oligarquia” e passamos à democracia.

Senhor Josivaldo Veras, bem-vindo a esse Maranhão onde agora caminhamos para uma saúde melhor e mais humanizada, onde hoje temos escolas dignas, onde hoje temos educação com qualidade, onde hoje pessoas honestas e trabalhadoras também tem vez. Talvez o senhor não esteja acostumado a isso né?

Senhor Josivaldo Veras, o Hospital Regional Adélia Matos Fonseca É DE TODOS NÓS!

Adm. Esp. Larissa Araujo Martins

CHAPA LULA & FLÁVIO DINO É POUCO PROVÁVEL

O governador Flávio Dino (PCdoB) dificilmente deixa a oportunidade concreta de uma reeleição ao Governo do Maranhão para entrar na disputa presidencial, agora. No futuro, sim.

Lula, favorito nas pesquisas, sabe que Dino seria um bom parceiro de chapa, mas o pragmatismo eleitoral não recomenda aliança entre iguais.

Vejamos alguns motivos para não crer na chapa Lula & Dino:

O petista não precisa queimar munição entregando a vice para o PCdoB, que já é uma partido aliado ao PT desde 1989;

Lula precisa de um vice do centro-direita para acalmar o mercado financeiro e se posicionar afetuosamente diante do eleitorado conservador;

Para formar aliança pragmática, Lula precisa conquistar um partido que não tem; ou seja, retirar uma legenda do campo político oposto para fragilizar o adversário;

As legendas de aluguel, inclusive aquelas que votaram a favor do impeachment da presidente Dilma Roussef (PT), podem se vender novamente ao petismo. Basta sentirem o cheiro do poder e do dinheiro.

Do ponto de vista geopolítico, Lula deve optar por um vice do Centro ou do Sul do país, com o objetivo de penetrar nas regiões que mais repudiam o PT;

Flávio Dino, um vice do Nordeste, não somaria muito na computação geral de votos;

Em síntese, o vice ideal e pragmático para Lula deve ser de centro-direita, do Sul e com trânsito entre as elites que sempre mandaram no Brasil.

O governador do Maranhão vai focar na renovação do seu mandato, mirando no futuro o Palácio do Planalto.

Foto: Heinrich Aikawa/Instituto Lula

Scroll To Top